54.235.48.106
Usufrua de um serviço de suporte de excelência.
Uma rede de mais de 400 Parceiros especializados e certificados na implementação e suporte às soluções PRIMAVERA garante um serviço de assistência da máxima qualidade. Encontre um Parceiro perto de si.Pesquisar
Precisa de Ajuda?
Tem dúvidas sobre a modalidade de suporte mais adequada ao seu negócio? Nós ajudamos!Pedir contacto
A iniciar em breve
Estatutos da Parceria
Saiba Mais
Quero ser Parceiro PRIMAVERA Saiba Como
Encontrar Parceiro
Login
Conheça a nossa oferta de forma mais detalhada aquiConsultar
Conheça as soluções integradoras dos nossos ParceirosMarketPlace
919 204 462Ligue Já!
Ou nós ligamos!Deixe os seus dados para contacto.
Seremos breves!
Horário - dias úteis das 9h30 às 18h30

Apenas 13% das empresas acede a soluções ERP através da cloud

Estudo de mercado realizado pela IDC com o apoio da PRIMAVERA revela dados de adesão à cloud, maturidade na utilização de ERP e níveis de exportação das empresas nacionais.

Mais de 88% das empresas em Portugal já utiliza software de gestão empresarial, o que representa um crescimento de 6,1 pontos percentuais face a 2014. Este crescimento está correlacionado com uma maior preocupação das empresas em competir num mercado cada vez mais global. Contudo, mais de 10% das empresas com menos de cinco colaboradores ainda não possui ERP.

As conclusões são de um estudo realizado em parceria pela PRIMAVERA BSS e a IDC ao tecido empresarial português. O estudo realizado este ano teve como base uma amostra representativa de mais de 4500 empresas portuguesas que foram auscultadas ainda sobre investimento e consolidação, exportação e práticas internas de gestão (em particular as que têm suporte tecnológico), e ainda antiguidade da organização e número de colaboradores. 

Em termos de setores de atividade, a Construção e os Serviços são os únicos que registam ainda níveis inferiores a 90%. Das empresas que possuem soluções ERP, apenas 13% acede às mesmas através da cloud, devendo-se ainda assim este valor às pequenas organizações e aos setores da Construção e dos Serviços. 

"Este estudo mostra de forma muito conclusiva que praticamente todo o nosso tecido empresarial já entende a importância da utilização de um software para a gestão empresarial, contudo verificamos ainda pouca maturidade no que toca ao conhecimento e utilização dos modelos de licenciamento cloud, o qual é fundamental para uma maior agilidade e capacidade de internacionalização das empresas portuguesas”, refere Gabriel Coimbra, Country Manager da IDC Portugal.

Felicidade Ferreira, Country Manager da PRIMAVERA Portugal, destaca que os dados de ade-são à cloud mostram que a transformação digital das empresas está a começar, mas a decorrer a bom ritmo, sublinhando, "na PRIMAVERA temos assistido a uma duplicação do negócio em cloud a cada ano que passa, por isso, apesar de ainda existir um longo caminho a percorrer, a cloud é sem dúvida o futuro e é nessa tecnologia que estamos a colocar todos os nossos esforços, no sentido de acelerar a entrada das organizações nesse mundo digital, por forma a torná-las mais competitivas no mercado global.


20% das empresas têm atividade exportadora

Relativamente à atividade exportadora, 20% das organizações inquiridas exporta, existindo uma correlação positiva entre dimensão e atividade exportadora. Desta forma, cerca de 60% das empresas de maior dimensão (mais de 100 colaboradores) possui atividade exportadora. Os principais mercados para exportação são Espanha (21%), França (19,7%) e Angola (11,2%). A análise por dimensão da empresa permite ainda verificar que as empresas de maiores di-mensões tendencialmente exportam mais para França, enquanto as menores o fazem para Espanha e Angola. 

Quanto aos setores de atividade, a Indústria (47,9%) é o setor mais exportador, seguida pela Distribuição e Retalho (23,8%). A percentagem do negócio proveniente das exportações segue o mesmo padrão. Complementarmente é possível concluir que existe uma fraca correlação entre a atividade exportadora e a antiguidade das empresas. Por outro lado, no caso de Angola, são os setores da Distribuição e Retalho (19,7%) e da Construção (21,9%) que mais exportam para a antiga colónia portuguesa. Os Gabinetes de Contabilidade exercem pouca atividade exportadora, concentrando-a no Brasil e França.

 25% das organizações pretende realizar grandes investimentos no próximo ano

No que diz respeito a investimento e consolidação, é possível verificar que 25% das organizações pretende realizar grandes investimentos no próximo ano. Por outro lado, a dinâmica é mais acentuada em empresas de maior dimensão (mais de 40% das organizações com 100 ou mais colaboradores) e de menor tempo de atividade (cerca de 38% das empresas constituí-das há menos de dois anos). 

A amostra é composta por um total de 4515 empresas, consultadas entre 23 de janeiro e 18 de abril de 2017 através de um processo de sondagem aleatória estratificada por dimensão da empresa e setor económico. 
A amostra reparte-se por setor de atividade, que, por sua vez, discrimina por dimensão em termos de número de colaboradores. Das 4515 organizações, 1072 dedicam-se à Distribuição e Retalho (D&R); 785 à Indústria; 513 à Construção; 463 dizem respeito a Gabinetes de Contabilidade; e 1682 prestam Serviços.